Durante o quarto trimestre de 2021, o Chile continuou sua recuperação da recessão da COVID-19 graças à flexibilização das restrições e à abundante liquidez das famílias, impulsionando o consumo privado, o principal motor da recuperação. A taxa de variação anual do PIB foi menor do que nos dois trimestres anteriores, mas ainda mostrou um crescimento sólido de 11,78%. Por outro lado, o mercado de trabalho melhorou acentuadamente. A taxa de desemprego caiu para 7,60%, enquanto o emprego registrou outra taxa anual positiva de 8,82%. A inflação foi a mais alta de todos os tempos, 6,63%. Isto foi impulsionado tanto por fatores internacionais quanto locais, incluindo a depreciação do peso chileno em relação ao dólar americano, que registrou uma taxa de câmbio média de 825,23 CLP/USD no 4T21.


Macroeconomic outlook report: Chile 4Q21

Watch video

Situação macroeconômica

  • Durante o quarto trimestre do ano, a taxa de variação anual do PIB chileno caiu 5,47 p.p. em relação ao registrado no 3T21, para 11,78%. Apesar do ligeiro declínio, este bom número foi em grande parte o resultado do consumo privado, sustentado pelos altos níveis de liquidez doméstica e pela redução das restrições.
  • Com relação ao mercado de trabalho, a taxa de desemprego diminuiu 1,03 p.p. do trimestre anterior para 7,60% durante o quarto trimestre. O emprego no Chile apresentou uma taxa anual positiva de 8,82%, apesar de uma queda de 5,62 p.p. em relação ao trimestre anterior.
  • Durante o quarto trimestre, o peso chileno desvalorizou 6,99% em relação ao dólar americano em comparação com o trimestre anterior. A taxa de câmbio média foi de CLP 825,23/USD.
  • Finalmente, a mudança no índice de preços foi de 6,63%, 1,74 p.p. maior do que no 3T21.

Para mais informações, acesse o documento executivo em PDF clicando aqui (somente disponível em Espanhol).