Durante o primeiro trimestre de 2022, a taxa de crescimento homóloga do PIB brasileiro foi de 1,33%, continuando a recuperação económica iniciada no terceiro trimestre de 2020, embora a um ritmo de crescimento mais lento. A taxa de crescimento anual da produção industrial continuou a ser negativa, registando um crescimento de -4,14%. Relativamente ao mercado de trabalho, a taxa de desemprego no primeiro trimestre de 2022 foi de 11,17%, diminuindo em comparação com o quarto trimestre de 2021. O real brasileiro apreciou-se em relação ao dólar, levando a taxa de câmbio a 5,23 R$/USD. Finalmente, a inflação foi de 10,74%, após um aumento em comparação com o trimestre anterior.


Macroeconomic outlook report: Brazil 1Q22

Watch video

Resumo macroeconômico

  • A taxa de crescimento homóloga do PIB brasileiro foi de 1,33%, 0,23 p.p. inferior à do trimestre anterior. Esta desaceleração do PIB deveu-se principalmente às novas variantes da COVID, bem como à escassez de matérias-primas e ao aperto das condições financeiras.
  • A produção industrial aumentou a sua taxa de crescimento homóloga em 1,27 p.p. em relação ao trimestre anterior, registando um declínio de 4,14%.
  • Em relação ao mercado de trabalho, a taxa de desemprego diminuiu 0,43 p.p. em relação ao trimestre anterior, situando-se em 11,17% no 1T22.
  • A taxa de câmbio diminuiu 0,35 reais por dólar em relação ao trimestre anterior, registando uma taxa de câmbio média de 5,23 R$/USD no 1T22.
  • A taxa de inflação brasileira aumentou no 1T22 em 0,25 p.p. do 4T21 para 10,74%, longe da meta média do BCB de 3,75%.

Para mais informações, acesse o documento executivo em PDF clicando aqui (também disponível em Espanhol).