Durante o segundo trimestre de 2020, a economia argentina registrou uma queda significativa da taxa de crescimento interanual do PIB, para -19,09%. Entre as principais causas está a paralisação parcial da economia, tanto na Argentina como no resto do mundo, como medida de contenção para mitigar o impacto do vírus. No mercado de trabalho, a taxa de desemprego aumentou em relação ao trimestre anterior, situando-se em 13,10%; enquanto a taxa de crescimento interanual do emprego caiu em relação ao trimestre anterior, atingindo -2,95%. Quanto aos preços, a inflação ficou em 42,53%, após registrar desaceleração em relação ao trimestre anterior. Por fim, o peso argentino se desvalorizou, situando-se em 67,68 pesos por dólar.

 


Macroeconomic outlook report: Argentina 2Q20

Watch video

Situação macroeconômica

  • Durante o 2T20, a Argentina registrou uma contração sem precedentes no crescimento interanual de seu PIB, registrando uma taxa de -19,09%, 13,91 p.p. abaixo do trimestre anterior. Entre outros fatores, esse comportamento foi motivado pelas medidas de confinamento adotadas para limitar a propagação do vírus, que na Argentina foram especialmente severas e vigoraram ao longo do segundo trimestre do ano.
  • No mercado de trabalho, a taxa de desemprego aumentou 2,70 p.p. em relação ao trimestre anterior, até 13,10%. Por seu vez, a taxa de crescimento interanual do emprego caiu 2,22 p.p. em relação ao trimestre anterior, até -2,95%.
  • No 2T20, o peso argentino apresentou desvalorização em relação ao dólar, atingindo uma cotação média de 67,68 pesos por dólar, 6,19 pesos por dólar a mais que no 1T20.
  • No segundo trimestre do ano, a variação do índice de preços situou-se em 42,53%, após uma desaceleração de 6,47 p.p. em comparação com o trimestre anterior.

Para mais informações, acesse o documento executivo em PDF clicando aqui (somente disponível em Espanhol).