Skip to main content

Relatório de Conjuntura Macroeconômica: França

Segundo trimestre de 2017

Durante o segundo trimestre de 2017, o PIB francês registou um aumento de 0,69 p.p. na sua taxa de crescimento interanual em relação ao trimestre anterior, até 1,85%. Esse comportamento ocorreu devido ao maior crescimento da formação bruta de capital fixo e das exportações em relação ao trimestre anterior. A taxa de desemprego caiu 0,10 p.p. atingindo uma taxa de 9,5%, enquanto a taxa de crescimento anual do emprego aumentou 0,03 p.p. até 1,18%. Com relação à taxa de câmbio, o euro registrou uma ligeira apreciação em relação ao dólar de 0,04 $ / €, até um nível de 1,10 $ / €.

Situação macroeconômica

  • Durante o segundo trimestre do ano, a economia francesa registrou um aumento na taxa de crescimento interanual de 0,69 p.p. em relação ao trimestre anterior, até 1,85%. Esse comportamento ocorreu devido ao maior crescimento da formação bruta de capital fixo e das exportações em relação ao trimestre anterior.
  • O crescimento anual da demanda doméstica aumentou 0,37 p.p. em relação ao primeiro trimestre de 2017, crescendo para 2,37%. Esse comportamento ocorreu debido ao maior crescimento do investimento em capital fixo e à aceleração das despesas públicas que compensaram o menor crescimento internual no consumo privado.
  • A taxa de desemprego situou-se em 9,5% da população ativa total no final do segundo trimestre, após uma redução de 0,10 p.p. em comparação com o trimestre anterior. A taxa de crescimento anual do emprego situou-se em 1,18% após o aumento de 0,03 p.p.
  • O euro mostrou uma ligeira apreciação em relação ao dólar, com a taxa de câmbio de US $ 1,10 / 2 no 2T17, o que representa um aumento de US $ 0,04 por euro em relação ao 1T17. Essa valorização do euro em relação ao dólar ocorreu devido às melhorias esperadas no crescimento da área do euro e à incerteza em torno da política fiscal norte-americana.
  • O Índice de Preços ao Consumidor Francês situou-se em 0,90% no segundo trimestre de 2017, após queda de 0,30 p.p. em comparação com o trimestre anterior. A principal causa dessa desaceleração da inflação foi a queda no preço da energia e das comunicações.

Para mais informações, acesse o documento executivo em PDF clicando aqui (somente disponível em Inglés).

© GMS Management Solutions, S.L., 2018. Todos os direitos reservados. A informação contida nesta publicação tem caráter geral e não constitui opinião profissional e nem serviço de assessoramento de nenhuma espécie. Os dados utilizados nesta publicação proveem de fontes de informação públicas. A GMS Management Solutions, S.L. não assume responsabilidade alguma sobre a veracidade ou correção de tais dados.