Skip to main content

Relatório de Conjuntura Macroeconômica: Argentina

Segundo trimestre de 2017

No segundo trimestre de 2017, a economia argentina registou um aumento de 2,27 p.p. em sua taxa de crescimento interanual em relação ao trimestre anterior, crescendo a uma taxa de 2,68%. O maior crescimento da demanda interna motivou o comportamento do PIB. A taxa de desemprego no 2T17 caiu 0,50 p.p. em relação ao trimestre anterior, situando-se em 8,70%. O peso argentino registrou uma nova desvalorização em relação ao dólar até 15,72 pesos por dólar no 2T17. A inflação foi moderada pelo quarto trimestre consecutivo, atingindo uma taxa de 23,28%.

Situação macroeconômica

  • Durante o segundo trimestre de 2017, o PIB argentino aumentou a taxa de crescimento ano-a-ano em 2,27 p.p. em comparação com o trimestre anterior, até uma taxa de 2,68%. A economia argentina fortaleceu a recuperação iniciada no 1T17. O crescimento do PIB baseou-se na aceleração da demanda interna, como resultado do menor crescimento da demanda externa neste trimestre.
  • A demanda nacional registrou uma aceleração de 3,12 p.p. em comparação com o 1T17, em 4,93%. O consumo privado, o público e o investimento em capital fixo contribuíram para esse desempenho com maiores taxas de crescimento.
  • No que diz respeito ao mercado de trabalho, a taxa de desemprego para o segundo trimestre de 2017 foi reduzida em 0,50 p.p. em relação ao trimestre anterior, situando-se em 8,70%. Essa redução se deve tanto à redução da população ativa como ao aumento do número de pessoas ocupadas neste trimestre em relação ao 1T17.
  • Durante o 2T17, o peso argentino registrou uma desvalorização de 0,05 pesos por dólar, atingindo uma taxa de câmbio de 15,72 pesos por dólar e, portanto, mantendo a tendência de desvalorização iniciada em 2008. A eliminação de restrições no mercado cambial No final de 2015, permitiu a entrada de moeda estrangeira, o que resultou em uma desvalorização do peso.
  • A inflação moderou pelo quarto trimestre consecutivo no 2T17, reduzindo 3,08 p.p. em comparação com o trimestre anterior até 23,28%. O Banco Central aumentou sua taxa de referência de política monetária em 1.50 p.p. em relação ao 1T17, até 26,25% no segundo trimestre de 2017.

Para mais informações, acesse o documento executivo em PDF clicando aqui (somente disponível em Espanhol).

© GMS Management Solutions, S.L., 2018. Todos os direitos reservados. A informação contida nesta publicação tem caráter geral e não constitui opinião profissional e nem serviço de assessoramento de nenhuma espécie. Os dados utilizados nesta publicação proveem de fontes de informação públicas. A GMS Management Solutions, S.L. não assume responsabilidade alguma sobre a veracidade ou correção de tais dados.