Skip to main content

Boletim de Supervisão - Agosto de 2018

Banco Central Europeu (BCE)

Desde 2016, o BCE tem publicado periodicamente versões atualizadas de seu Boletim de Supervisão, a fim de abordar aspectos que são considerados significativos para o marco de supervisão europeu. Nesse contexto, em agosto de 2018, o BCE publicou uma atualização do seu Boletim de Supervisão, que incluiu cinco artigos sobre os seguintes aspectos: governança interna, setor imobiliário, planos de reestruturação, Brexit e supervisão.

Esta Nota Técnica inclui o resumo do conteúdo do Boletim de Supervisão de agosto de 2018, e informação estatística com data de referência 1T18 fornecida pelo BCE no seu trabalho de supervisão.

Resumo executivo

O Boletim de Supervisão do BCE lida principalmente com informações sobre a governança interna das entidades em um ambiente de contínua mudança, a visão atual da evolução do mercado imobiliário, a experiência do BCE relacionados com os planos de reestruturação, a contagem regressiva do Brexit e a criação de uma abordagem comum de supervisão para bancos de menores dimensões.

Âmbito de aplicação

Este Boletim é destinado a grupos de interesse e público em geral, e visa informar os interessados ​​sobre as questões que despertam maior interesse no setor financeiro.

Conteúdo principal

  • Governança interna das entidades em ambiente de mudança contínua. Como resultado do trabalho de supervisão do BCE em relação à governança interna das instituições, surgiram quatro áreas em que os bancos precisam melhorar ao longo dos próximos anos: nas avaliações de competências, na independência do Conselho de Administração, na estrutura de apetite de risco (RAF) e na agregação de dados de risco.
  • Avanços no mercado imobiliário residencial. Como resultado de sua análise contínua, o BCE avaliou os riscos de crédito relacionados a exposições a imóveis residenciais em países da zona do euro e concluiu que as exposições a esses ativos exigem maior controle por parte dos supervisores.
  • Planos de reestruturação. O BCE compartilhou com a indústria bancária as melhores práticas identificadas nas seguintes áreas: opções de reestruturação; capacidade geral de reestruturação (ORC); indicadores de reestruturação; playbooks, que são diretrizes para a implementação de planos de reestruturação; e dry runs.
  • Brexit. O BCE anunciou que todos os bancos afetados pelo Brexit devem agir antes de março de 2019 para reduzir o risco de perder o acesso ao mercado da União Europeia. Além disso, o BCE continuará a monitorar os preparativos dos bancos para se estabelecerem na zona do euro.
  • Criação de uma abordagem comum de supervisão para bancos com menores dimensões. O BCE aplicará uma metodologia comum na avaliação anual de supervis.

Clique aquí para acessar o documento (versão em Inglês). 


Notas técnicas recentes: